Loading...
Reviews

Uma condição entre a euforia e a introspeção trazida pelos Palmers

Seasonal Affective Disorder Palmers

Chegou finalmente, até aos nossos ouvidos, o disco de estreia dos Palmers e com ele o garage rock que rola na linha da imperfeição do punk e que nos levou a um estado de calamidade, devido ao forte balanço entre os sentimentos nostálgicos das guitarras e o spoken word, arrepiante, por entre as melodias.

“Seasonal Affective Disorder”, arrepia e dá energia a qualquer ser humano que procura uma banda punk que o faça sentir o sangue a pulsar nas veias.

É um álbum de estreia fantástico, que nos capta a atenção desde a primeira secção rítmica em “Zitch Dog I”, passando por verdadeiros upbeat singles como “Zitch Dog II” e “Leave Me Now”, onde o pé não hesita em acompanhar a batida – chegamos, inclusive, a ser projetados para verdadeiras ondas de “Goo” dos Sonic Youth – e a terminar com “Twenty Eight” que nos deixa com um sentimento de retoma e de mais uma volta ao disco.

Os Palmers já vinham a dar o ar da sua graça com o lançamento de uns singles aqui e ali, mas com o lançamento de “Seasonal Affective Disorder” atrevemo-nos a dizer que acabam de vincar os pés no panorama musical português. No press-release que nos chegou às mãos, líamos: “Um álbum gravado entre 2021 e 2022, no estúdio da banda, e com a fórmula baseou-se em romper com cânones pré-concebidos e evoluir para uma sonoridade complexa e variada.”, podemos dizer que a missão foi cumprida com sucesso. São ferozes e sente-se a luta que vão dar.

Apesar do sentimento nostálgico para onde somos encaminhados, os Palmers são portadores de um ar fresco que nos deixa a ansiar por novidades e concertos ao vivo – “que saudades de acompanhar uma banda assim”, suspiramos nós.

texto por: Teresa Montez

Spread the love
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *